domingo, 25 de março de 2012

Angola cumpre normas da aviação civil

Autoridades angolanas têm dedicado consideráveis recursos para introduzir no país boas práticas em matéria de segurança aérea

Angola cumpre as normas internacionais de segurança da aviação civil e dispõe de um mercado de elevado nível de revelação, gestão e fiscalização, afirmou na terça-feira, em Luanda, o vice-ministro dos Transportes, José Cuvingua.
De acordo com o vice-ministro, que falava no seminário sobre "Aviação Civil em Angola, um Voo Seguro", com a aprovação do Programa Nacional da Aviação Civil pelo decreto presidencial nº 130/ 2010, o estado assegurou a aplicação definitiva das normas e requisitos internacionais da segurança da aviação civil rubricadas na Convenção de Chicago.

Autoridades angolanas têm dedicado consideráveis recursos para introduzir no país boas práticas em matéria de segurança aérea

Fotografia: João Gomes

Angola cumpre as normas internacionais de segurança da aviação civil e dispõe de um mercado de elevado nível de revelação, gestão e fiscalização, afirmou na terça-feira, em Luanda, o vice-ministro dos Transportes, José Cuvingua.
De acordo com o vice-ministro, que falava no seminário sobre "Aviação Civil em Angola, um Voo Seguro", com a aprovação do Programa Nacional da Aviação Civil pelo decreto presidencial nº 130/ 2010, o estado assegurou a aplicação definitiva das normas e requisitos internacionais da segurança da aviação civil rubricadas na Convenção de Chicago.
O vice-ministro informou que o Instituto Nacional da Aviação Civil publicou durante o ano de 2011 programas nacionais de formação, treino de segurança e de controlo da qualidade da aviação civil. Disse ainda que com aprovação da lei nº 1/2008 da aviação civil, Angola assegurou um passo decisivo de conformação do seu ordenamento jurídico com a Convenção da Aviação Civil Internacional.
Com isso, fica implantada uma autoridade reguladora do sector da aviação civil com atribuições de regulamentação, licenciamento e certificação do pessoal, infra-estruturas, equipamentos e sistemas aeronáuticos, com poderes de supervisão, fiscalização e com capacidade sancionatória em matéria de infracções das normas e requisitos dos serviços aeronáuticos.
A realização do seminário, acrescentou o responsável, em com que foram discutidos temas como "Terrorismo e Sequestro de Passageiros", "Passageiros com comportamentos desordeiros", "Prioridades estratégicas de acção para 2012", "Fraude documental" e "As ameaças e riscos à segurança da aviação civil", vem revelar a necessidade do desenvolvimento de trabalho legislativo adicional em matéria de definição de um regime penal, bem como de quadros de competências extra territoriais de jurisdição do Estado angolano, em conformidade com o previsto na convenção e protocolo de Monte Real.

Classificação da TAAG



As Linhas Aéreas de Angola (TAAG) adoptaram como meta para o ano de 2012 chegar a três estrelas na classificação internacional Skytrax, que avalia a qualidade de serviço ao cliente em companhias aéreas.
De acordo com uma nota de imprensa na transportadora angolana, para atingir esse objectivo a companhia impôs, como desafio próprio, a introdução da seriedade como o principal critério de trabalho, ao mesmo tempo que o rigor, profissionalismo, responsabilização e uma atitude totalmente orientada para o cliente.
A nota indica que o ano em curso deve ser marcado, para a companhia, por quatro grandes linhas de orientação para a conduta de trabalho dos seus empregados, o que a administração da companhia designa como os "4 C", descritos como crescimento, capacidade, controlo e cliente.
Dentro das prioridades, consta igualmente o alargamento da oferta, com início do destino regional de Cotonou, Benim, e o reforço das frequências na rede doméstica e internacional.
A transportadora declarou que também tem previsto o estabelecimento de alianças e parcerias estratégicas para fomentar o tráfego de ligação. Optimizar a receita média dedicando especial atenção à área de gestão de preços e rendimentos, desenvolver um novo modelo de negócio de carga com base no alargamento da capacidade da frota de longo curso e introduzir critérios comerciais em todos os pontos de venda são outras prioridades.
Consta ainda dessas medidas, incluídas num plano de acção, apostar decididamente no desenvolvimento do talento interno através da optimização dos processos de avaliação interna e da expansão da TAAG Corporate Academy, consolidar o esforço de capacitação técnica dos quadros operacionais da companhia e da área de manutenção, bem como o lançamento de programas de formação para quadros de topo. A empresa está a passar por um processo de refundação.



Nenhum comentário:

Postar um comentário