sábado, 19 de maio de 2018

Companhia Angolana AirJet Volta A Operar No Cuíto Com Preços Promocionais


Dez anos depois da suspensão dos voos, a companhia aérea privada AirJet volta a operar na cidade do Cuito, província do Bié, no centro de Angola, com duas frequências semanais na rota Luanda-Cuito e vice-versa, anunciou nesta segunda-feira, dia 14 de maio, a agência de notícias 'Angop'.

O delegado provincial da AirJet no Bié, Paulo Mbunga Honde, disse à 'Angop' que os preços dos bilhetes, ainda em promoção, variam em função das idades, realçando que as crianças até quatro anos pagam somente cinco mil kwanzas. A companhia está a vender os bilhetes de passagem a preços promocionais de cinco, 15 e 20 mil kwanzas. Os adolescentes pagam 15 mil kwanzas, enquanto os adultos 20 mil por cada bilhete.

A ideia, segundo o gestor, consiste em responder às necessidades das populações que pretendem escalar as duas localidades (Luanda/Cuito) em menos tempo.

"A companhia dispõe de aviões de todos os portes e pretendemos operar na região todos os dias a depender do fluxo de passageiros", disse a fonte, realçando que além da cidade do Cuito a companhia escala as cidades de Luanda, Cabinda, Soyo, Dundo e Benguela.

Até agora, na província do Bié, apenas operava a TAAG – Linhas Aéreas de Angola, com uma frequência semanal.



Airbus A330-900neo Da TAP Descola Pela Primeira Vez Em Toulouse


O primeiro avião A330-900neo de passageiros que será entregue este ano à TAP Air Portugal descolou na manhã desta terça-feira, dia 15 de maio, do Aeroporto de Toulouse/Blagnac, em França, que serve as instalações da construtora aérea europeia. O voo inaugural demorou 04h32 minutos, confirmou a Airbus em comunicado de imprensa.

A TAP Air Portugal confirmou em Lisboa, o primeiro voo do A330-900neo da TAP, que diz ter entrega prevista para o segundo semestre deste ano, e classifica as imagens desta manhã históricas, já que o primeiro avião será operado pela transportadora aérea portuguesa.



Até ao final de 2025, "a TAP deverá receber 71 novos Airbus de vanguarda tecnológica – mais modernos, confortáveis e eficientes. A modernização da frota com os aviões mais avançados do mercado vai permitir à TAP aumentar a sua oferta e crescer para novos destinos, reforçando a sua competitividade e contribuindo para uma maior centralidade de Portugal enquanto hub atlântico do transporte aéreo e para a atração de novos fluxos turísticos para o País". 




Re: TAAG esclarece pedido ao Governo para capitalização


A TAAG, Linhas Aéreas de Angola, esclareceu hoje que os 900 milhões de dólares, solicitados ao governo para sua capitalização, representam o valor total do passivo contraído na compra dos aviões da companhia.

Em comunicado, a companhia angolana de bandeira justifica sua posição em face das imprecisões na análise lógica dos dados avançados pelo presidente do Conselho de Administração, José Kuvíngua, na apresentação do Plano Estratégico da TAAG, para os próximos 5 anos.

A empresa realça apenas solicitou ao Governo, através do Ministério das Finanças, a capitalização dos seus empréstimos e passivos do balanço, contraídos para a aquisição das aeronaves no passado.

A Administração da TAAG, depois de analisar a situação, solicitou ao Ministério das Finanças que autorize a transferência deste passivo dos empréstimos do governo, para a conta de capital.

Adianta que este exercício administrativo possibilitará a redução substancial das perdas acumuladas, ao longo dos anos, e reforçará os capitais próprios do balanço, sendo que a operação é somente um ajuste contabilístico e não envolve dispêndio de recursos financeiros por parte do Estado angolano.

Por ocasião da apresentação do Plano Estratégico da TAAG, José Kuvíngua havia informado que a companhia precisa do apoio do governo de 952 milhões de dólares norte-americanos para eliminar as perdas acumuladas no balanço, superiores a 1.063 milhões.



terça-feira, 13 de março de 2018

Israel Manifesta Interesse Em Receber Voos Regulares Da TAAG


Israel está disponível e interessado em expandir a sua cooperação com Angola, em diversos sectores e, também, aberta a receber voos diretos da TAAG – Linhas Aéreas de Angola.

A intenção foi manifestada pelo embaixador de Israel em Luanda, Oren Rozenblat, durante um almoço com jornalistas angolanos, a propósito da visita, a Angola, do responsável da Divisão África do ministério israelita dos Negócios Estrangeiros, Gideon Behar.

Ao detalhar esta carteira de intenções, Oren Rozenblat disse que o empresariado do seu país pretende criar e explorar grandes fazendas agrícolas, um contributo seguro que responde à estratégia governamental angolana de diversificação da economia nacional.

Quanto às ligações aéreas diretas, o diplomata disse ver nisso não só uma oportunidade de negócio para a transportadora aérea angolana, como também encurtarão as viagens que cerca de 100 mil brasileiros e israelitas efetuam todos os anos, nos dois sentidos, passando pela Europa.

Em conclusão, embaixador apontou a indústrias de energia solar, as ligações aéreas e a segurança cibernética como as principais apostas da cooperação para este ano. Esta carteira de intenções está estimada em cerca de 250 milhões de dólares norte-americanos, noticia a agência de notícias 'Angop'.



domingo, 14 de janeiro de 2018

Viagens da TAAG, internas e externas, passam a ter preços em função da oscilação cambial determinada pelo BNA



O preço de todas das viagens na companhia aérea nacional internas, regionais e intercontinentais, vão passar a depender da flutuação, ou oscilação, cambial determinada pelo Banco Nacional de Angola (BNA), disse hoje ao Novo Jornal Online fonte da TAAG.
 
Esta medida, segundo fonte do gabinete de comunicação da TAAG, foi decidida em função das recentes alterações no mercado cambial nacional e resulta da necessidade da companhia adequar o preço das viagens nas suas rotas a essa realidade.
 
Recorde-se que a TAAG, tal como a generalidade das restantes transportadoras a operar em Angola, já não vendem bilhetes em kwanzas nas viagens com início no estrangeiro, essencialmente devido à dificuldade em expatriar dividendos em divisas
 
As alterações, no que respeita às rotas internas, só não serão aplicadas na viagem TAAG entre Cabinda e Luanda, e vice-versa, à qual, de acordo com um Decreto Presidencial, será aplicada uma tarifa subvencionada pelo Estado que tem como objectivo reduzir os custos de pouco mais de 39 mil kwanzas para 27 mil.
  
A subvenção estatal atribuída à TAAG tem como justificação o facto de Cabinda ser a única província que não tem ligação terrestre com o restante território angolano.
  
A TAAG tem vinte voos semanais Luanda-Cabinda-Luanda. O custo das passagens aéreas foi fortemente contestado, nos últimos anos, pela população de Cabinda, que se sente prejudicada em relação ao resto do país, e isso mesmo foi transmitido ao Presidente da República durante um Conselho de Ministros descentralizado que teve lugar em Novembro último, durante o qual este medida foi tomada e anunciada. 
 
Recorde-se que, já de acordo com a flutuação cambial, o dólar sofreu uma desvalorização na terça-feira, passando de 166 para 185 kwanzas por cada dólar e o Euro passa de 185 para 221 kwanzas.

sábado, 13 de janeiro de 2018

ANÚNCIO DA SUBSTITUIÇÃO DO CEO DA TAP ‘ACELEROU’ ONTEM



Antonoaldo Neves é "o sucessor lógico" de Fernando Pinto, foi com esta frase que Trey Urbahn, actual Chief Strategist da TAP e um dos homens de confiança de David Neeleman, lançou em fins de Agosto a substituição da liderança executiva cujo anúncio 'acelerou' ontem, com o alargamento da reunião do Management Team a quadros superiores.

"O Chief Executive Officer, Fernando Pinto, convida-o a participar em reunião do Management Team da TAP", dizia o email que ontem de manhã chegou aos computadores de vários quadros superiores da companhia, confirmando para grande parte deles que se trataria do anúncio por Fernando Pinto de que a Assembleia Geral da companhia marcada para 31 de Janeiro iria ser o 'ponto final' da liderança executiva da TAP, que se viu 'forçado' a assumir em finais de 2000 quando havia um acordo tácito e não público com o então presidente Norberto Pilar para que fosse apenas 1 de Janeiro de 2001.

O que se passou foi que Fernando Pinto e os outros ex-Varig que com ele vieram para Lisboa, Michael Conoly, Luiz Mór e Manoel Torres, se viram confrontados com uma greve dos tripulantes de cabina 'em cima' de um Congresso da APAVT, em que a Associação anunciou ter ganho uma providência cautelar relativamente a comissões que iria custar milhões.

Embora sem o desejar, Fernando Pinto e os outros gestores, que planeavam passar os últimos meses de 2000 a conhecer melhor a TAP, viram-se na contingência a terem que 'pôr as mãos na massa' desde logo, com Luiz Mór a embarcar para Fortaleza onde se foi encontrar com os dirigentes da APAVT e iniciou um processo de aproximação entre as duas entidades.

O fim desse ciclo foi naturalmente a privatização da companhia, com a ironia de que ao que tudo indica foi Fernando Pinto que 'cativou' David Neeleman para a TAP e que defendeu essa opção perante o Governo, em detrimento de German Efromovich, embora em público sempre tivesse mantido o discurso de que a privatização era matéria do accionista e não da gestão.

Os sinais de que a mudança não iria fazer-se esperar é que pouco depois de resolvida a privatização, os dois homens de confiança de Fernando Pinto que restavam na gestão executiva, Manoel Torres e Luiz Mór, foram relegados para funções sem poder executivo, o primeiro deles poucos meses antes do seu falecimento e o segundo 'oficiosamente' em meados de Dezembro.

E nessa altura também já a substituição de Fernando Pinto estava em marcha. Começou em finais de Agosto, lançada por Trey Urbahn, que foi nos primeiros tempos o principal homem de confiança de David Neeleman da TAP, ao ponto de ser a ele que todos os gestores de áreas operacionais tinham que reportar e que depois da chegada de Antonoaldo Neves à companhia e de o substituir como Chief Commercial Officer manteve-se no topo da gestão executiva, como Chief Strategy Officer (clique para ler: Trey Urbahn vai manter-se na TAP como Chief Strategy Officer).

Antonoaldo Neves é "o sucessor lógico" de Fernando Pinto, anunciou Trey Urbahn ao FlightGlobal e embora alguns sectores da empresa não quisessem acreditar, alegando que Humberto Pedrosa iria "peitar" David Neeleman e 'bater o pé' por Fernando Pinto, que alegadamente seria o preferido pelo Governo português.

Mas era mesmo disso que se tratava, de investir o ex-presidente da Azul em CEO em lugar de Fernando Pinto, e o Governo português não estava minimamente interessado em contrariar a escolha de Neeleman, como o administrador designado pelo Executivo Diogo Lacerda Machado deixou claro durante o Congresso da APAVT que decorreu em finais de Novembro em Macau.

"Admito que Antonoaldo Neves no futuro possa ser uma opção por parte dos privados [para liderar a TAP] e não quero crer que haja qualquer problema por parte do Estado", disse então Diogo Lacerda Machado, num intervalo do Congresso.

Estava assim 'aberto' um caminho que Fernando Pinto também viria a assumir publicamente a 19 de Dezembro, durante o almoço que tradicionalmente a companhia realiza pelo Natal com a imprensa, ao afirmar: "olhando para 2018 e vendo que a empresa está no bom caminho, eu estou absolutamente realizado".

Curiosamente ou coerentemente, a mesma mensagem que hoje transmitiu aos trabalhadores, em que escreveu: "o meu sentimento hoje é de absoluta realização profissional e pessoal. De missão cumprida. A empresa está no bom caminho e sinto-me plenamente realizado".

TAAG E SOUTH AFRICAN AIRWAYS ASSINAM ACORDO DE CODESHARE



As companhias aéreas TAAG e South African Airways assinaram um acordo de codeshare, incluindo voos entre Angola, África do Sul, Zimbabué, Zâmbia e Hong Kong.

Com o acordo, a South African Airways vai colocar o seu código de voo nas ligações a Joanesburgo e Cidade do Cabo operadas pela TAAG, noticia hoje a edição online do "Jornal de Angola".

A TAAG, por sua vez, irá colocar o seu código de voo nas ligações da South African Airways a Harare, Lusaka e Hong Kong.

O acordo de codeshare para as rotas de Joanesburgo e Cidade do Cabo de e para Luanda estão em vigor desde ontem, dia 10 de Janeiro.

"Valorizamos as relações com a TAAG e estamos expectantes em fortalecer esta parceria, criando uma boa experiência de viagem para os nossos clientes que se deslocam para vários destinos de África e Ásia", afirmou Aaron Munetsi, administrador da área comercial da South African Airways, citado pelo jornal.

Para William Boulter, chief commercial officer da TAAG, o acordo "constitui uma parceria forte que proporcionará melhores e mais fluídas conexões para muitos clientes, que nos permitirá comercializar destinos como Hong Kong".