domingo, 15 de outubro de 2017

I Encontro Internacional De Aviação Dos Países Lusófonos Termina Em Lisboa



Termina neste sábado, dia 14 de outubro, o I Encontro Internacional de Aviação dos Países Lusófonos que reuniu nos últimos três dias centenas de profissionais e entusiastas do sector no Pavilhão de Congresso de Lisboa.

Os temas em debate estão dedicados à Formação de Profissionais para a Aviação no âmbito da Lusofonia e à Paixão pela Aviação.

Neste sábado será submetida à plateia a declaração final do Encontro, que será assinada pelos representantes da organização, nomeadamente a Lusoavia e a Confederação Empresarial da CPLP (Comunidade de Países de Língua Portuguesa), e que será apresentada à Comissão de Economia da Assembleia da República em Portugal, e aos governos dos países de língua oficial portuguesa que constituem esta imensa comunidade de falantes.

Entre os pontos apontados na proposta de declaração refere-se a necessidade de serem criadas condições de maior acessibilidade entre as capitais lusófonas, incluindo a criação de uma companhia aérea que possa, num futuro próximo, ligar os nove países dos quatro continentes que integram a CPLP.

Os seguintes pontos abordados durante os três dias do Encontro Internacional de Aviação dos Países Lusófonos, são enunciados na proposta de declaração que será aprovada neste sábado, na cidade de Lisboa, e que deverão, certamente, motivar a abordagem e análise das questões relacionadas com a Aviação, em todos os seus segmentos, tendo em vista promover mais qualidade, mais profissionalismo e mais competências, o que significa pessoal melhor preparado para lidar com os desafios do futuro. Um rol de propostas que poderão ajudar os responsáveis dos países da CPLP a estarem mais conscientes e melhor preparados para enfrentar o futuro, proporcionando melhores acessibilidades e uma rede de mobilidade mais facilitadora da cooperação institucional, do intercâmbio entre cidadãos e da potenciação dos negócios:

  • Criação de uma linha aérea regular de voos cargo e de passageiros entre as capitais dos países da CPLP;
  • Melhoria dos procedimentos para a criação de Feiras Internacionais no espaço CPLP para o sector da aviação;
  • Apoiar a criação de mecanismos de mediação de conflitos entre entidades oriundas dos países que compõem a CPLP (Centro de Arbitragem e de Mediação da CPLP);
  • Apoio à efetiva implementação da Diplomacia Económica em língua portuguesa;
  • Garantia e facilitação de processos para a obtenção de fundos de investimento e de financiamento a projetos nos Sectores da Aviação nos países da CPLP;
  • Elaboração e Divulgação de uma Estratégia a nível Lusófono para o Sector da Aviação;
  • Necessidade urgente da melhoria dos serviços aeroportuários nos países da CPLP;
  • Estudar a possibilidade da criação de uma futura Companhia Aérea Lusófona (com a integração das companhias aéreas dos países da CPLP);
  • Redução das Tarifas Aéreas entre os países da CPLP, com vista à redução dos custos dos bilhetes de avião;
  • Incentivar a realização e voos 'low cost' (tais como os que são atualmente efetuados para a Europa), para os países da CPLP, tendo em conta a grande diáspora lusófona existente em Portugal;
  • Criação de Pacote Turístico Lusófono, com vista possibilitar a divulgação e incentivar o turismo nos países da CPLP;
  • Criação de um Projeto de Formação e Superação para os quadros profissionais dos Sectores da Aviação a nível Lusófono;
  • Potencializar as condições de funcionamento dos atuais pequenos aeródromos existentes nos países da CPLP.

Encontrados Os Destroços Do EMB120 Da Air Guincango – Não Há Sobreviventes



Foram encontrados na tarde deste sábado, dia 14 de outubro, os destroços do avião Embraer EMB120, matrícula D2-FDO, da companhia Air Guincango, que se encontrava desaparecido desde a quinta-feira, dia 12, no nordeste de Angola.

Os destroços foram avistados por elementos da Força Aérea Nacional de Angola, que viajavam em helicópteros militares, e que desceram no local do desastre, pelas 14h40 locais. Foi localizado entre os municípios de Cambuto e de Capaia, na divisória dos rios Luxico e Luangue.

Segundo informações recolhidas pelo 'Newsavia' o cenário encontrado foi devastador, pois os destroços do avião estão completamente carbonizados, reduzidos praticamente a cinzas, incluindo os corpos das vítimas, três tripulantes (dois pilotos e um assistente de bordo), um cidadão sul-africano que viajava para Luanda para ser hospitalizado, um paramédico de nacionalidade portuguesa que o acompanhava, e uma outra pessoa que também acompanhava o doente, cuja nacionalidade não se conhece.

O aeroporto do Dundo, de onde descolou o avião indicou que tinham embarcado três tripulantes e três passageiros, pelo que aguarda-se a clarificação do número de ocupantes do avião, já que em muitos meios de informação angolanos desde a quinta-feira que está a ser referido que a bordo seguiam sete pessoas. Um número também divulgado por algumas agências internacionais.

Este é o segundo acidente grave em Angola, nos últimos seis anos, com um Embraer EMB120, um avião de fabrico brasileiro. Em setembro de 2011 um avião idêntico da frota da Força Aérea Nacional de Angola (FANA), de transporte de passageiros, caiu no Huambo. Morreram 17 pessoas, segundo um comunicado oficial da FANA. Na imprensa angolana chegou a ser referida a morte de 32 pessoas, números que não tiveram confirmação oficial.

A Air Guincango é também uma companhia com vários incidentes, embora em nenhuma dos que são conhecidos tenham ocorrido vítimas fatais. No dia 3 de junho de 2010, um avião Yak-40, de fabrico russo, pousou de barriga no Aeroporto de Luanda, com 34 passageiros e três tripulantes, tendo os ocupantes saído ilesos. A 25 de fevereiro de 2014 um Embraer EMB120 da companhia também fez uma aterragem de emergência num terreno baldio nos arredores do Aeródromo de Lucapa, na Lunda Norte, tendo quebrado as duas asas e os trens de pouso. A bordo seguiam 14 passageiros e 3 tripulantes, que também saíram ilesos.

sábado, 7 de outubro de 2017

1º Encontro Internacional de Aviação dos Países Lusófonos

O LusoAvia é um evento sem precedentes que reúne as mais importante organizações públicas e privadas do sector da aviação da Lusofonia, cuja missão é fomentar a cooperação institucional e fortalecer as relações empresariais no espaço da CPLP.

O LusoAvia, é um evento único, original e sem paralelo no mundo da aviação. A união de todo um sector à volta de uma língua comum, abre portas para o conhecimento e para desenvolvimento económico mútuo. Responsáveis por aeroportos, autoridades civis de aviação, diversas universidades, academias de aviação, personalidades e profissionais de aviação, embaixadores, decisores políticos, construtores, prestadores de serviços, e fornecedores estarão reunidos num encontro de trabalho e promoção multilateral.




1st International Aviation Meeting of the Portuguese Commonwealth

LusoAvia is an unprecedented event that brings together the most important public and private organizations in the aviation industry of the Portuguese-speaking countries, whose mission is to foster institutional cooperation and strengthen business relations within the CPLP.

LusoAvia is a unique event, original and unparalleled in the world of aviation. The union of an entire sector around a common language opens doors to knowledge and for mutual economic development. Airport managers, civil aviation authorities, universities, aviation academies, aviation personalities and professionals, ambassadors, policy-makers, builders, service providers, and suppliers will be gathered at a working meeting and multilateral promotion.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Quarto A330-300 Da TAP Aterra Em Lisboa Com Denominação ‘Air Portugal’



O quarto avião A330-300 da frota da companhia portuguesa TAP aterrou em Lisboa na tarde desta quinta-feira, dia 24 de agosto, pelas 18h11 locais. A aeronave chegou já com a nova designação comercial da transportadora aérea –  TAP Air Portugal -, que a será retomada a partir do próximo dia 14 de setembro, conforme já foi noticiado recentemente 

domingo, 20 de agosto de 2017

Inaugurado terminal de carga do aeroporto internacional da Catumbela

Cargaa.jpg - 117 kb

Benguela – O Aeroporto Internacional da Catum bela está  dimensionado para atender  2, 2 milhões de passageiros por ano. Este empreendimento conta com um novo e moderno Terminal de Carga inaugurado, hoje, segunda-feira, 14 de Agosto, pelo ministro dos Transportes, Augusto da Silva Tomás, na presença do governador de Benguela, Rui Luís Falcão Pinto de Andrade.

Trata-se de um serviço público que se consubstancia nas actividades conexas de recepção, entrega, movimentação e armazenamento de carga aérea, incluindo correio e operações de handing.

A infra-estrutura, construída por via de uma parceria da Enana e a Unicargas, compreende uma área coberta de 900 metros quadrados, e no seu interior uma área de armazenagem de 400 metros quadrados.

O Terminal de Carga comporta igualmente 12 salas, sendo 3 reservadas à gestão e 9 a diferentes entidades intervenientes na cadeia, nomeadamente bancos, Administração Geral Tributária, Polícia Fiscal, despachantes e empresas ligadas ao sector dos transportes e logística.

O Centro de Carga Aérea da Catumbela constitui um dos requisitos incontornáveis para elevar o aeroporto  a categoria de internacional, segundo palavras do presidente do Conselho de Administração da Unicargas,  Ruben Dombassi.



sábado, 22 de julho de 2017

SA Airlink Ganha Rota Joanesburgo- St Helena Com O Embraer E190 ETOPS



O Governo da ilha de Santa Helena, um território ultramarino do Reino Unido no Atlântico Sul, frente à costa de Angola, e a companhia aérea sul-africana SA Airlink, anunciaram na tarde deste sexta-feira, dia 21 de julho, a assinatura de um protocolo para a realização de voos comerciais regulares para a ilha de Santa Helena.

O anúncio era esperado com grande ansiedade pelos habitantes da ilha, cuja única ligação regular para e do exterior é ainda assegurada por um navio-correio, único caso conhecido em territórios ultramarinos europeus, que é assegurado pela Coroa Britânica, entre os portos da Cidade do Cabo, na República da África do Sul, e de Jamestown, na ilha de Santa Helena, de três em três semanas.

Segundo o comunicado governamental a SA Airlink, que já tinha feito um voo charter para a ilha (LINK notícia relacionada) vai agora tratar de toda a parte burocrática junto da Autoridade Nacional de Aviação Civil da África do Sul, após o que serão acertados horários e tarifas.

Os voos para e da Ilha de Santa Helena serão feitos à partida do Aeroporto Internacional OR Tambo/Joanesburgo, com uma escala no Aeroporto Internacional de Windhoek, capital da Namíbia, no Sudoeste Africano, nas duas direções. Mensalmente, provavelmente no segundo sábado de cada mês, a SA Airlink assegurará um voo entre as ilhas de Santa Helena e de Ascensão.

O comunicado da governadora de Santa Helena indica ainda que os voos serão assegurados por aviões Embraer E190-100 IGW, também conhecidos por E190 ETOPS, configurados com duas classes. O tempo total de voo entre Joanesburgo e Santa Helena, contando com a escala de meia hora em Windhoek, será de aproximadamente 06h15. O acordo com a SA Airlink é por um período de três anos, após a realização do primeiro voo.

Os passageiros de e para Santa Helena encontram em Windhoek ligações rápidas para a Cidade do Cabo, em Joanesburgo um hub com centenas de voos semanais para cerca de 80 destinos em todo o mundo.

A SA Airlink é uma companhia privada sul-africana, franchisada da South African Airways, membro da IATA e auditada pela IOSA. A sua rede de voos inclui dezenas de aeroportos na África Austral.